Buscar

Campanha homenageia vítimas da COVID-19 através do plantio de árvores na Mata Atlântica

Atualizado: Fev 24

14 de dezembro de 2020 - Suzana Camargo



Já são mais de 180 mil vítimas da pandemia do novo coronavírus no Brasil. 180 mil brasileiros que morreram por causa da COVID-19. E que não puderam estar ao lado de seus familiares e amigos em seus momentos finais. Para os que ficaram restam as saudades e a tristeza de que alguém tão querido foi levado embora por esse vírus tão cruel e traiçoeiro.


Para tentar levar conforto a essas milhares de famílias, que também são vítimas da COVID-19, foi lançada a campanha nacional Bosques da Memória. A iniciativa convida os brasileiros a homenagear aqueles que perderam a vida para o coronavírus através de um ato simbólico: o plantio de árvores na Mata Atlântica. Cada muda plantada para o reflorestamento do bioma receberá o nome de alguém muito especial. De um brasileiro que jamais será esquecido.


“Por meio do plantio de espécies nativas da Mata Atlântica, poderemos colaborar no combate aos efeitos das mudanças climáticas, contribuindo para a conservação da biodiversidade e perenizando um espaço simbólico e concreto de celebração da vida de tantos familiares e amigos que faleceram em virtude da COVID-19″, acreditam os idealizadores da iniciativa.


A campanha, que também marca o início da Década da Restauração de Ecossistemas 2021-2030 das Nações Unidas, é uma promoção conjunta da Rede de ONGs da Mata Atlântica, da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e do PACTO pela Restauração da Mata Atlântica, e tem o apoio de várias entidades parceiras como a Associação em Defesa do Rio Paraná, Afluentes e Mata Ciliar – Apoena e a Associação Mico-Leão-Dourado.


Até este momento já foi confirmada a criação de 21 Bosques da Memória em onze estados brasileiros. O plantio das primeiras mudas começou no final de semana.


No município de Silva Jardim, no Rio de Janeiro, onde foi criado um bosque pela Associação Mico-Leão-Dourado, entre as vítimas da COVID-19 que já ganharam uma placa ao lado das novas árvores estão duas pessoas muito queridas e conhecidas dos brasileiros: o compositor e poeta Aldir Blanc e o jornalista esportivo e escritor Rodrigo Rodrigues.


Os familiares do ex-apresentador do SportTv plantaram uma guanandi em seu nome e a viúva de Aldir Blanc escolheu uma muda de goiabeira-branca, árvore que ele havia citado em uma de suas crônicas, em homenagem ao pai.


“Sair de Vila Isabel foi muito parecido com morrer. E me ocorre que, ao escrever o presente texto, me aproximo cada vez mais célere da árvore, transformada agora, sim, na goiabeira branca que me recolherá definitivamente em seus galhos”.

Mary Sá Freire, companheira de Aldir Blanc, ficou muito emocionada


A previsão é que apenas no bosque de Silva Jardim sejam plantadas quase 7 mil mudas.


Para quem quiser participar da iniciativa Bosques da Memória e homenager alguém que partiu por causa da COVID, basta preencher um formulário no site da campanha e aguardar a indicação de um bosque mais próximo e de qual é a organização responsável pelo plantio da muda. Não é necessário pagar nada! Todos os custos foram assumidos pelas entidades apoiadoras.


Há ainda outras formas de se envolver na campanha, seja pela cessão de áreas para criação de mais bosques, doação de insumos e equipamentos para plantio e manutenção das árvores, participação em eventos de plantios ou produção e doação de placas de sinalização. Se você estiver interessado, basta entrar em contato também.

21 visualizações0 comentário

Compartilhe